Beija-flor

poema de Ruth Salles

“O meu biquinho curvado
como um sabre oriental
sabe achar uns bons achados
nas flores do seu quintal.

De ficar de asas batendo.
pairando, eu nunca me esqueço.
Mas vocês não estão sabendo:
para mim o ar é espesso.

Assim é espessa também
a água salgada do mar.
Tem que nadar muito bem
quem na água doce saltar.

Isso é o que estou conversando
com você, que é especial,
enquanto pairo, bicando
as flores do seu quintal.”

 

 

***