Buscando Meu Ponto

peça de Ruth Salles

Este jogral sobre espaço, movimento, centro, encontros, pode ser vivido também como peça, não apenas com a fala, mas também com movimentos ou gestos e até algum canto. A primeira estrofe contém oito grupos de três versos: sete desses grupos podem representar os sete planetas principais; o oitavo, o sol ao centro da roda. Pode haver também estrelas representando as constelações zodiacais. As sete notas da escala musical podem ser entoadas pelos sete planetas; a oitava do dó, pelo sol. Mas tudo isso e mais o movimento e os gestos fica a critério do professor ou professora que quiser usar o texto como peça, ou então como jogral, só com a fala e alguns gestos. Em todo caso, arrumei como peça, separando personagens, como sugestão.

PERSONAGENS:
Menino, Menina; Mercúrio,Vênus,Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano; Sol, Estrelas Zodiacais; Leste, Oeste, Sul, Norte

NOTA:
À exceção do menino e da menina, todos têm uma capa de cor, que tiram para se tornarem outros meninos e meninas na parte final da peça. Os planetas, com o sol no centro, e as estrelas zodiacais atrás deles, formam um semi-círculo ao fundo, por onde passam o menino e a menina.

 

MENINO (enquanto se ouve a nota Dó, dada por Mercúrio):
– Vou indo no vento,
voando, passando
por tudo que existe nos céus.

MENINA (enquanto se ouve a nota Ré, dada por Vênus):
– Os astros palpitam,
estrelas me fitam,
e eu passo movendo seus véus.

MENINO (enquanto se ouve a nota Mi, dada pela Terra):
– E giro na ronda,
e a terra redonda
me chama, tão verde e azul…

MENINA (enquanto se ouve a nota Fa, dada por Marte):
– E eu caio em seu colo,
no gelo do polo.
Que frio, no norte ou no sul!

MENINO (enquanto se ouve a nota Sol, dada por Júpiter)
– E passo por tudo
e faço um estudo
da terra, dos rios, do mar.

MENINA (enquanto se ouve a nota Lá, dada por Saturno):
– É neste planalto
tão alto, tão alto
que vou escolher um lugar.

MENINO (enquanto se ouve a nota Si, dada por Urano):
– Eu vim sem demora;
agora é a hora;
aqui é o canto onde chego.

MENINA (enquanto se ouve a nota Dó, dada pelo Sol):
– É o ponto escolhido;
e sou acolhido
num bom e feliz aconchego!

MENINO E MENINA:
– Onde estou? Onde estou?

ESTRELAS:
– Bem no centro de seu lar.

MENINO E MENINA (apontando):
– À direita é o leste…

LESTE:
– Onde tenho o grande mar,
que balança no horizonte.

MENINO E MENINA (apontando):
– À esquerda é o oeste…

OESTE:
– Onde o sol eu vou deitar
logo atrás daquele monte.

MENINO E MENINA:
– E por que o sul assim
se escondeu atrás de mim?

SUL:
– O meu vento quer soprar
ora frio, ora gelado,
e empurrar e animar
quem vier desanimado.

MENINO E MENINA:
– Olho à frente e vejo o norte…

NORTE:
– Sou eu! Dê um passo forte!
Eu seguro sua mão
e lhe mostro a direção.

MENINO (enquanto os outros tiram a capa e vão-se unindo ao menino e à menina, formando dois círculos concêntricos):
– Vou sorrindo sempre assim
para quem vai avançando
já adiante de mim.
E eu chamo e puxo mais,
e assim vou ajudando
quem vem vindo atrás.

MENINA:
– Se o braço esquerdo eu estendo,
na palma da mão recebo
muitos dons que vêm de Deus.
Quando estendo o outro braço,
com a mão direita eu passo
os dons que não são só meus.

MENINO E MENINA:
– Vira, vira, o meu rosto vai voltado
para tudo que estiver de todo lado.
Neste onde, neste quando,
minha roda vou girando.
Todo mundo dando a mão
numa alegre união.

TODOS:
– Você, à minha esquerda,
passe um dom para mim.
Para ele, à direita,
passo o dom também assim.
Ele passa a outros mais,
e os outros vão passando,
vão os dons multiplicando
sempre mais, sempre mais.
Nunca, nunca é demais! (bis)

 

 

***