Categoria: Artigos

Infância plastificada

pesquisa realizada por GPQV / UFSCar – encomendada por Instituto Alana Programa Criança e Consumo

O impacto da publicidade infantil de brinquedos plásticos na saúde de crianças e no ambiente

Apresentação – abaixo pdf com a pesquisa completa

A publicidade infantil, para além de suas dimensões antiéticas, injustas e ilegais, contribui para a intensificação de problemas sociais e ambientais graves. Desde o começo de sua atuação, o programa Criança e Consumo alerta para os impactos negativos do direcionamento de publicidade e comunicação mercadológica ao público menor de 12 anos de idade. Entre os principais prejuízos estão: obesidade infantil, doenças crônicas não transmissíveis, estresse familiar pela interferência na autoridade parental, diminuição das brincadeiras criativas, violências simbólicas e materiais e, ainda, impactos ambientais. O estímulo a comportamentos consumistas leva ao consumo massivo de produtos e serviços sem a devida reflexão sobre seu real valor de uso e sobre todas as dinâmicas negativas e violações de direitos envolvidas nas cadeias produtivas.

Continuar lendo “Infância plastificada”

O autocultivo e a educação da sensibilidade na Pedagogia Waldorf

por Jonas Bach Junior

Este artigo discute o papel que a experiência estética e a sensibilidade humana possuem dentro dos parâmetros educacionais da Pedagogia Waldorf, a partir da abordagem da filosofia da educação. A quebra de paradigma ocorre na ênfase e valorização da experiência humana, como fonte de vivências que enriquecem o mundo de sensações e sentimentos para dar suporte à vida cognitiva do ser humano. Steiner se inspirou na fenomenologia de Goethe para fundar sua concepção de educação e valorizou o desenvolvimento da sensibilidade como ideal para a formação humana (Bildung). A educação da sensibilidade é um fator importante tanto no autocultivo (Selbstbildung) dos professores, quanto na educação das crianças e jovens. O elemento chave na compreensão da educação estética não reside no que se ensina, mas no como.

Acesse o texto completo AQUI.

Memorando acerca da educação no mundo digital

Fórum Internacional do Movimento Pedagógico Waldorf – Círculo de Professores Waldorf

 

As mídias desde sempre contribuíram para a formação dos pensamentos e da cultura humana. A educação midiática na forma de linguagem falada e escrita, bem como as linhas de pensamento matemáticas (algoritmos) têm sido tradicionalmente um elemento fundamental na educação escolar. Hoje em dia, nossa vida cotidiana está permeada e moldada pelas tecnologias digitais, o que veio trazer novos desafios para a sociedade, especialmente para a pedagogia e a educação. Entretanto, interesses económicos ameaçam dominar unilateralmente o debate sobre o tipo de educação que crianças e adolescentes necessitam para viver no atual mundo digital. Somente uma forma de educação baseada no desenvolvimento infantil será capaz de preparar as crianças para usar as modernas mídias de uma maneira criativa e eficiente. Apelamos portanto à criação de condições básicas que permitam implementar os seguintes princípios:
Continuar lendo “Memorando acerca da educação no mundo digital”

Quando um muro uniu as pessoas

A história da pintura do muro da escola EMEI Dr. José Calumby Filho

por Maria Aparecidado Nascimento Dias

Maria Aparecida Calumbi em tupi guarani é o nome de uma planta e é também a junção de leite materno. E se a gente está numa escola de Educação Infantil, então, está tudo certo.

Quando a escola ficou pronta para começar a se estruturar, quando o prédio ficou pronto, começamos a ter uma preocupação com o muro, porque quando deu a primeira alisada no cimento, já apareceu uma coisa lá escrita. Eu disse: “Ai, meu Deus do Céu, quando pintar aquilo ali de branco, bonitinho, vai ser um convite a vir essas inscrições que a gente não gosta”. Pensamos assim: Quem será que fez isso? Então, pedimos a uma pessoa do grupo para descobrir quem era aquele que pichou, porque queríamos convidá-lo para vir pintar com a gente.

Continuar lendo “Quando um muro uniu as pessoas”

Sessão Solene pelos 100 anos da Pedagogia Waldorf

Discurso de Rubens Salles, representante do Instituto Ruth Salles, na Sessão Solene em homenagem aos 100 anos da Pedagogia Waldorf que se realizou no Auditório Ulisses Guimarães, no Congresso Nacional, no dia 28/11/2019.


Bom dia a todas e todos! Eu gostaria de agradecer à Exma. Deputada Érika Kokay, à professora Luana Angélica Pimentel e a toda equipe do Movimento Txai pelo honroso convite para participar dessa sessão solene, e cumprimento a todos os integrantes da mesa.

O objetivo do Instituto Ruth Salles é contribuir para humanizar e melhorar a qualidade da educação no Brasil divulgando a Pedagogia Waldorf, seus princípios e práticas, e apoiando sua adoção em escolas da rede pública.

Continuar lendo “Sessão Solene pelos 100 anos da Pedagogia Waldorf”

Bazar das mãos de muitas mães

MARIANA  VILELA – Uma comissão de muitas mãos por onde fios, linhas e lãs perpassam saberes ancestrais de mulheres contemporâneas. Lugar de encontro, risadas, trocas, compartilhamento, lembrança, lágrimas, consolo e cuidado. Um espaço para descobrir-se na outra. Um tempo para resgatar memórias de tempos vividos. Um tempo/espaço que rasga o ontem, o hoje e o amanhã em potente acontecimento, que possibilita a participante criar um corpo presente e consciente de seu caminho de individuação. Continuar lendo “Bazar das mãos de muitas mães”

Minha experiência como aluna numa escola Waldorf

LUÍSA MÜLLER NEVES integrou a turma pioneira da Escola Waldorf Querência, (em 2005, com a professora Ana Beatriz Weber) em Porto Alegre RS, e foi a primeira aluna a cursar o Ensino Fundamental completo (até o 9º ano, concluído em 2013). No Ensino Médio, estudou no Colégio João XXIII e atualmente está matriculada para cursar Psicologia na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.

***

Eu acho que uma das perguntas que mais me fazem é: qual é a diferença entre uma escola Waldorf e uma “tradicional”?

Continuar lendo “Minha experiência como aluna numa escola Waldorf”

Ver com os olhos do Coração

por João Batista Conrado

Fotocomposição de João Batista Conrado

É dever de quem ensina ser referência, mostrar a direção. Criar as condições mais simples possíveis para que a aprendizagem seja viva, intensa, provocante. Inesgotável.

Neste desafio de orientar está a perspicácia de quem ensina. Nunca trazer as coisas já acabadas, explicadinhas, receitas de bolo. Na realidade, mais importante do que o resultado final são os processos, a trajetória de quem está aprendendo e apreendendo.

Continuar lendo “Ver com os olhos do Coração”

Da imagem ao conceito – da percepção à compreensão

No currículo Waldorf o ensino segue uma sequência metodológica progressiva

Texto de Jon McAlice

Desenho de aluno do 1° ano Waldorf.

No currículo da Escola Waldorf, como escola integral, existe uma sequência metodológica progressiva, nas disciplinas da 1ª à 12ª série, que constitui para cada aluno um verdadeiro plano escolar.

O modo como entendemos o mundo modifica-se ao longo da vida, e isso acontece de forma gradual. Começamos por compreender aspectos gerais, depois compreendemos suas particularidades e as relações entre elas e, só então, somos capazes de elaborar uma síntese através do pensamento.

Continuar lendo “Da imagem ao conceito – da percepção à compreensão”

O desenvolvimento harmonioso da criança como princípio

A Pedagogia Waldorf é um projeto educativo integral

IlustraçãoArtigo de Wenzel Götte

A criança é em si mesma um ser em desenvolvimento. A partir deste ponto de vista, toda a atividade pedagógica deve observar dois aspectos: que o desenvolvimento vem do passado e vai até o futuro, e que a criança se transforma ao longo deste processo; e que a criança que está diante de nossos olhos se encontra numa das etapas dessa transformação. Continuar lendo “O desenvolvimento harmonioso da criança como princípio”

Escolas que matam a criatividade

Apresentação de Ken Robinson

Transcrição de conferência do Programa TED Ideas worth spreading.

Existem três tópicos abordados ao longo da conferência que são relevantes para o que eu vou falar. O primeiro é a extraordinária evidência da criatividade humana em todas as apresentações que tivemos e em todas as pessoas presentes. Sua variedade e multiplicidade. O segundo é o fato de que não fazemos a menor ideia do que vai acontecer no futuro. Nenhuma ideia do que nos espera. Continuar lendo “Escolas que matam a criatividade”

A Pedagogia Waldorf e a idade de escolarização

Artigo de Walter Hiller, Peter Lang e Martyn Rawson   

Uma coisa é certa: crianças têm capacidade de aprender, fantasia muito rica e força de vontade; são otimistas, abertas para o mundo, despreocupadas e curiosas. Os adultos têm a tarefa de não destruir tudo isso, e ajudar as crianças a desabrocharem, tanto quanto possível, os seus potenciais passíveis de desenvolvimento.

Continuar lendo “A Pedagogia Waldorf e a idade de escolarização”