Dois pastores na noite de Natal

peça de Ruth Salles

Esta peça, muito singela, é mais um poema dramatizado. Foi escrita baseada na história narrada no livro A Luz do Sol, que consta também do livro “Des Knaben Wunderhorn”. Dois pastores vão a Belém e conversam sobre os presentes que levarão a Jesus.

PERSONAGENS:
Coro / 1º pastor / 2º pastor / ovelhas / cordeirinho branco / veadinho real / esquilo / anjo com estrela / José e Maria / o boi e o burro

A cena dos pastores com suas ovelhas e suas prendas se passa à esquerda. À direita está o anjo com a estrela que ilumina o presépio e seus personagens. No fim da cena, pastores, ovelhas, cordeirinho, veadinho real e esquilo se dirigem para o presépio e todos cantam a canção final.

CORO (canta):
“Quando Jesus veio ao mundo,
em noite de azul profundo,
dois pastores conversavam
sobre as prendas que levavam.
Debaixo de uma palmeira,
à beira de um riachinho,
ao seu redor as ovelhas
cochilavam de mansinho.
Um bando de nuvenzinhas
a luz da lua alvejava.
Pareciam ovelhinhas
que a lua pastoreava.
Ao longe, a sagrada estrela
o presépio iluminava,
enquanto, sob a palmeira,
dois pastores conversavam”

1º PASTOR:
– Vou-lhe dar um cordeirinho
de prateada brancura.
Não vi nenhum no caminho
de claridade mais pura.
Ele, porém, é manchado
de rubra mancha de um lado.
Tão rubra como se fosse
o seu sangue ali brotado.

2º PASTOR:
– À delicada criança,
em seu alegre Natal,
eu quero dar de lembrança
um veadinho real.
Pequeno cervo tão frágil,
como salta leve e ágil!
Vinha do verde remanso
desse bosque sombreado.
Deixou-se guiar de manso
e me seguiu de bom grado.

1º PASTOR:
– De mim também ganhará
um esquilo pequenino,
que corre de cá, de lá,
com seu jeito repentino.
Ele decerto há de rir,
sim, há de rir quando vir
o esquilo pegar nozes
e trincar o seu pedaço,
com seus dentinhos velozes,
tri-trac, no compasso.

2º PASTOR:
– Ah, se eu lhe pudesse dar
mais coisas, mais coisas lindas…
tudo de belo ofertar,
e dar, e dar mais ainda…
daria tudo o que vejo:
leite, nozes, pão e queijo.
Ah, se eu pudesse saber
se a criancinha mimosa
receberá com prazer
peras, maçãs saborosas…

1º PASTOR:
– Já é hora da partida.
Levemos, pois, com amor,
nossas prendas escolhidas
ao pequenino Pastor.
Que tudo que lhe for dado
pela mãe seja guardado.
Ela depois deverá
– pois é este nosso intento –
todas as prendas lhe dar,
mas cada uma a seu tempo.

CORO (canta, enquanto pastores, ovelhas e
prendas vão até o presépio):
“Andai, andai, ó pastores,
que a luz do dia já vem!
Andai a ver o Menino
nascido lá em Belém!
Passai, passai, ó pastores,
por este portal sagrado!
Entrai a ver o Menino
na manjedoura deitado!
Ele vem, por nosso bem,
nascer tão pobre em Belém.
Ele vem, por nosso bem,
nascer tão pobre em Belém.”

 

 

 

 

Fim