Músicas para dançar quadrilha

Sugestões de 4 músicas para dançar quadrilha – com a letra

Gravadas na festa junina da Escola Waldorf Rudolf Steiner em 2009.

Indo eu, indo eu … a caminho de viseu!

indo eu, indo eu,
a caminho de viseu, [bis]
encontrei o meu amor,
ai jesus, que lá vou eu! [Bis]

[refrão]

ora zus, truz, truz,
ora zás, trás, trás,
ora chega, chega, chega,
ora arreda lá pr´a trás!

indo eu, indo eu,
a caminho de viseu,
escorreguei, torci um pé,
ai que tanto me doeu!

[refrão]

vindo eu, vindo eu,
da cidade de viseu,
deixei lá o meu amor,
o que bem me aborreceu!

Roda da Carambola

Quem tiver raiva de mim
Eu não sei porque razão
Se for falta de carinho
Dô procê meu coração

Bate palma pra dentro
Oi vira e bate pra fora
Inda ontem eu vim de lá
Da roda da carambola

Na minha casa tem lama
Na tua tem atoleiro
Não há cravo como o branco
Nem amor como o primeiro

Lá no céu tem uma estrela
Só abre de hora em hora
Eu comparo aquela estrela
Com o amor que eu tenho agora

Vamos dar mais uma volta
Que a viola mandou dar
Vamos dar mais uma outra
Que a vida vai pará

Balaio
Inezita Barroso

Balaio, meu bem, balaio, sinhá
Balaio do coração
Moça que não tem balaio, sinhá
Bota a costura no chão

Eu queria ser balaio
Balaio eu queria ser
Para andar dependurado
Na cintura de você

Balaio, meu bem, balaio, sinhá
Balaio do coração
Moça que não tem balaio, sinhá
Bota a costura no chão

Mandei fazer um balaio
Pra botar meu algodão
Balaio saiu pequeno
Não quero balaio não

Balaio, meu bem, balaio, sinhá
Balaio do coração
Moça que não tem balaio, sinhá
Bota a costura no chão

Triste Berrante
Solange Maria e Adauto Santos

Já vai bem longe esse tempo bem sei
Tão longe que até penso que eu sonhei
Que lindo quando a gente ouvia distante
O som daquele triste berrante

E um boidadeiro a gritar
Eiá!
E eu ficava ali na beira da estrada
Vendo caminhar a boiada
Até o último boi passar

Ali passava boi, passava boiada
Tinha uma palmeira
Na beira da estrada
Onde foi cravado muito coração

Mas sempre foi assim
E sempre será
O novo vem e o velho tem que parar
O progresso cobriu a poeira da estrada
E esse tudo que é o meu nada
Hoje tenho que acatar
E chorar
Mas mesmo vendo gente, carros passando
Meus olhos estão enxergando
Uma boiada a passar