O achado

poema de Wolfgang Ghoethe

Andei pelo bosques
assim por andar,
nem mesmo pensando
no que procurar.

Um olhinho aceso
nas sombras eu vi.
Era a flor mais bela
que brilhava ali.

Tentei arrancá-la,
mas ela dizia
que eu não a levasse;
Que ela morreria.

“Então sou colhida
pra depois murchar?”
Mas eu, mansamente,
me pus a cavar.

Com suas raízes,
as mais delicadas,
colhi a plantinha
de luz orvalhada.

E no meu jardim,
onde sempre cresce,
ela sempre vive,
sempre floresce.

 

 

****