O mais belo cristal

poema no ritmo Anapesto (curto-curto-longo)

de Ruth Salles

Anapesto: vv___ (curto-curto-longo). Libera a língua. Abre o escutar e desperta o olhar. O ritmo nos carrega, liberando-nos de nossas limitações. Atua da mesma forma que o jambo, só que mais lentamente.

 

O MAIS BELO CRISTAL

Onde vai esse rei? Ele sabe onde ir?
Onde vai sem parar, a olhar, a sorrir?

Ele vai à procura da vida imortal
que virá de uma luz do mais belo cristal.

Foi um anjo do céu quem lhe disse o segredo.
Onde vai esse rei, sem espada e sem medo?

Um menino chorava, e o rei consolou
– era fome, era frio – e dele cuidou.

Uma ovelha perdida balia de dor,
e o rei conduziu-a, levou-a ao pastor.

E partiu o seu manto, estendeu-o no braço,
e quem manto não tinha ganhou um pedaço.

E as pedras em sua coroa cravadas
aos mais pobres, aos poucos, também foram dadas.

E um menino pequeno, a olhar, a sorrir,
o puxou pelo braço, a pedir, a pedir.

E ele deu afinal seu anel de reinado.
E não era mais rei, e não era mais nada.

E então, no menino, ele viu afinal
uma luz a brilhar do mais belo cristal.

E mais nada faltou para o rei que, sem medo,
quis seguir o caminho daquele segredo.

 

 

***