O mingau doce

Conto dos irmãos Grimm, traduzido por Ruth Salles

Era uma vez uma menina pobre e piedosa que morava com sua mãe, e as duas já não tinham mais nada para comer. Então a menina foi à floresta. Estando lá, veio ao seu encontro uma velha que sabia de sua miséria.

A velha lhe deu uma panelinha à qual ela devia dizer: “Panelinha, cozinha!”. E ela então fazia um gostoso mingau doce de milho miúdo. E, quando se dizia “Panelinha, para!”, ela parava de cozinhar.

A menina levou a panela para casa, deu à sua mãe, e agora elas estavam livres da pobreza e da fome e comiam mingau doce sempre que quisessem. Uma vez, a menina saiu, e a mãe disse: “Panelinha, cozinha!”. Ela cozinhou, e a mãe comeu até se fartar. Nisso, ela quis que a panelinha parasse de cozinhar, mas não sabia que palavras dizer. Então, a panelinha continuou cozinhando, e o mingau derramou-se da beirada da panela para fora e encheu a cozinha, e a casa toda, e mais a casa vizinha e mais a rua, como se quisesse que o mundo inteiro comesse até se fartar. E foi uma complicação, e ninguém sabia o que fazer para ajudar.

Por fim, quando só faltava uma casa para encher de mingau, a menina chegou de volta, e foi só ela dizer “Panelinha, para!”, que a panelinha parou de cozinhar; mas quem quisesse ir à cidade, precisava abrir caminho comendo.

 

***