Tag: Pedagogia Waldorf

O brincar segundo a Pedagogia Waldorf – A experiência da Associação Crianças de Luz em Canoa Quebrada CE

por: Helen Flávia de Lima, Patrícia Marques da Silva, Flaviane dos Santos Rocha, Erisvânia Silva dos Anjos e Assunção Oliveira de Almeida

A semente do jardim de infância Waldorf foi plantada na Vila do Estevão, Canoa Quebrada/CE, em 1999. Mas, a narrativa dessa história se inicia anos antes, com Ângela Gehrke , quando trabalhava como parteira na Associação Comunitária Monte Azul/SP e viajava com frequência para o Nordeste, a fim de conhecê-lo. E foi em uma dessas viagens que Ângela chegou em Canoa Quebrada, especificamente à Vila do Estevão. Ali, criou um forte vínculo com uma das famílias da comunidade, e desde então, passou a ir anualmente para lá, onde realizou alguns partos, inclusive de sua própria afilhada.

O nascimento dessa criança fortaleceu, ainda mais, o desejo de Ângela de levar a experiência exitosa do jardim de infância Waldorf da Associação Comunitária Monte Azul/SP à vila do Estevão/CE, pois observava que ali não existiam projetos direcionados para crianças da primeira infância, mas apenas uma escola com uma única sala multisseriada, lugar no qual eram reunidas no mesmo espaço crianças de três a doze anos de idade.

A gestação desse projeto resultou na conquista de um financiamento de dois anos para a sua implantação, bem como o convite à Eva Martins de Castro  para que semeasse a pedagogia Waldorf em outro jardim. Eva aceitou a proposta de Ângela, porém antes de ir para o Ceará, mesmo tendo a experiência de trabalhar treze anos no jardim de infância da Associação Comunitária Monte Azul, Eva passou por um processo de formação durante um ano, incluindo estudos sobre a pedagogia Waldorf bem como a parte organizacional desta Associação.

ACESSE aqui o PDF com o capítulo completo e conheça essa bela história sobre a criação e o desenvolvimento da Associação Crianças de Luz, em Canoa Quebrada, no Ceará.

Referência

  • Capítulo do livro Militância Política e Teórico-Científica da Educação no Brasil
    Organizadores: Américo Junior Nunes da Silva e Airã de Lima Bomfim
    Ponta Grossa PR – Editora Atena 2020

 

 

***

 

 

Manifesto pela educação humanizadora

Conheça o manifesto e, se concordar com ele, não deixe de assiná-lo!

MANIFESTO

Movimento pela Educação Humanizadora (MOVEH)

Somos um grupo de pessoas e organizações dedicadas a promover o desenvolvimento de seres humanos capazes de construir uma sociedade baseada na cultura de paz, na liberdade cultural, na fraternidade econômica, na igualdade de direitos e oportunidades, no respeito a todas as diferenças e na sustentabilidade ambiental.

Criamos o MOVIMENTO PELA EDUCAÇÃO HUMANIZADORA para agregar educadoras, educadores, escolas e organizações comprometidas com uma educação integral e emancipadora, pois cada ser humano é um fim em si mesmo, com direito à sua própria individualidade e a criar seu próprio caminho. Precisamos nos unir, pôr o tema em discussão na sociedade, compartilhar pesquisas, teorias e experiências, e propor práticas pedagógicas humanizadoras para a educação.

Entende-se por Educação Humanizadora aquela que respeita a individualidade da criança e do adolescente, a maturidade para o processo educativo, fortalece a autoestima, estimula a conquista da autonomia e visa seu desenvolvimento físico, emocional, mental e espiritual. Sua realização depende da atuação das famílias, docentes e demais profissionais que atuam nas escolas públicas e privadas, em organizações da sociedade civil, profissionais da saúde e todas as pessoas que assumem algum papel nesse processo.

Acreditamos que toda criança tem o direito de ser amada e acolhida pela sociedade a que pertence, de ser respeitada e valorizada como indivíduo, e de poder crescer em contato com a natureza. A sociedade e as escolas têm o dever de proporcionar a cada criança e a cada jovem um ambiente de aprendizado social saudável, para que cresçam confiantes e conscientes dos seus direitos e deveres, capazes de superar os apelos do consumismo e de atuar com criatividade em prol de um mundo mais justo, fraterno, inclusivo e sustentável.

A pandemia da COVID-19 que neste momento nos atinge está reafirmando como nós, seres humanos, dependemos uns dos outros e como é nefasta a profunda desigualdade que permeia nossa sociedade. Este cenário de fragilidade social e a crescente degradação ambiental prenunciam um futuro de incertezas e reforçam a necessidade de se repensar a educação como questão crucial para a humanidade e a sustentabilidade do planeta.

Portanto, convidamos todas as pessoas e organizações que compartilham destes mesmos ideais e propósitos a nos unirmos neste MOVIMENTO PELA EDUCAÇÃO HUMANIZADORA.

Para assinar acesse AQUI.

 

 

Olhar para o Docente: o reconhecimento devido

Realização do Movimento pela Educação Humanizadora

23/09/2020 – MOVEH

Palestrantes

Daniela Zanon Rodrigues – Professora da Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul
Melanie Mangels Guerra – Faculdade Rudolf Steiner
Isadora Tortella – Mapa Educação
Erika dos Anjos – Estudante de Pedagogia
Rubens Salles – Instituto Ruth Salles
Cristina Velasquez – Federação das Escolas Waldorf