Teatro pedagógico

A educação e a arte do faz-de-conta

por Rubens Salles

Nas escolas Waldorf o teatro é uma atividade pedagógica muito importante, sendo realizado por todas as classes do ensino fundamental e também pelo 11° ano do ensino médio. Nele, o importante não é a representação final para os pais ou a comunidade escolar, mas o processo educativo que envolve toda a sua preparação.

Cada peça é realizada para que os alunos vivenciem algum tema, história ou personagens que seu professor julga importante para um determinado momento de sua formação.

O faz de conta é um elemento essencial para o desenvolvimento de nossa personalidade, pois, interpretando personagens, heróis, vilões, sábios, aventureiros, idealistas, mesquinhos, nobres, plebeus, deuses etc, a criança e o adolescente vivenciam coragem e medo, solidariedade e avareza, alegria e tristeza, humor e amargura, lealdade e traição, amor e ódio etc, e essa vivência lúdica ensina a apreciar o que é bom e repugnar o que é ruim, ajudando assim a fortalecer o seu caráter. Pondo-se no lugar de outro, experimentando um modo de pensar e de sentir a vida diferente do seu, o jovem desenvolve a tolerância e a compreensão.

Através do teatro, trabalha-se também a arte da fala, a dicção, e diversos tipos de linguagem, de acordo com o contexto e as características de cada peça. A linguagem usada é sempre um pouco acima da que se convenciona para determinada idade, mas as crianças gostam de dizer palavras novas, ou frases de beleza poética, que contribuem para enriquecer o seu conhecimento. Sempre que possível há também partes cantadas.

No teatro, como o texto está incluído em um contexto dramático, seus significados são apreendidos pelos pequenos atores com muito mais profundidade do que permite, por exemplo, sua leitura em um livro. Da mesma forma, afirma o autor, a musicalidade também é privilegiada.

“A presença constante de um significado, pairando e percorrendo toda a encenação do texto dramático, imprime à trilha musical significações. O teatro traz para a música sua carga de significação narrativa, contextualizando-a e, dessa forma, imprimindo-lhe conteúdos acentuados. Tal processo, que instiga as crianças e adolescentes a buscarem diferentes formas de interpretação, favorece-os em sua musicalidade. Desse modo, o teatro dá uma injeção de conteúdo no senso estético musical, favorecendo-o no plano expressivo.”(1) Pedro Paulo Salles

A sociabilização também é estimulada no teatro, pois trata-se de uma ação coletiva, em que todos se envolvem com um objetivo comum. Diferente de outras atividades artísticas, ou esportivas, em que algumas características, ou qualidades pessoais, podem dificultar a participação de algumas crianças – os gordinhos, por exemplo, podem não se sair bem para dançar, ou para saltar, os desafinados para cantar – o teatro permite que todas as crianças participem, e se beneficiam com a experiência vivida.

É dada uma atenção especial à qualidade poética, linguística e musical das peças, para que ajudem a desenvolver nas crianças um senso estético mais apurado, que lhes permita diferenciar, apreciar e valorizar o belo. Já existe um grande acervo de peças com estas características, que foram escritas durante mais de 50 anos, principalmente pela poetisa e dramaturga Ruth Salles, para uso nas escolas Waldorf de ensino fundamental. Parte deste acervo encontra-se editado na Coleção Teatro na Escola, que faz parte do material acessível para as escolas, mas cada professor experiente também pode criar peças para seus alunos.

As peças representadas são escolhidas pelo professor de classe de acordo com a idade de suas crianças, de suas necessidades educativas, ou do conteúdo curricular que está sendo trabalhado no momento. Assim, há peças sobre contos de fada, lendas, temas da natureza, folclore, mitologia, epopeias medievais, feitos históricos brasileiros e universais, matemática, gramática da língua portuguesa etc. O teatro como tema transversal potencializa o aprendizado de diversas matérias, pois a vivência lúdica faz com que o aluno se aproprie do conteúdo vivenciado.

Professores experientes também conseguem fazer um uso terapêutico do teatro junto a alunos que tenham temperamentos muito unilaterais, escalando-os para papéis que possam representar uma dificuldade que eles precisem superar.

Os professores Waldorf aprendem as formas mais indicadas de se trabalhar com o teatro em sala de aula, de acordo com a faixa etária das crianças. É uma atividade que tem grande importância no contexto pedagógico.

“Flutuando entre o sentir, o agir e o pensar, estão, no plano social, a ética e a moral. O teatro é tudo isso, é o sentir e o pensar, e é a ação com toda a sua carga moral e ética. Assim, pode possibilitar à criança e ao adolescente que dele participam, e inclusive ao próprio professor, uma reflexão profunda sobre o ser. O teatro, com a poética de seu texto, com sua corporalidade, com a sintaxe das vozes, com a estética do espetáculo cênico, com a semântica das músicas e com seu fluxo de tempo semelhante ao tempo vivido é intensa oficina de vida.”(2) Pedro Paulo Salles

Veja nos links abaixo as orientações pedagógicas para o uso do teatro pedagógico de acordo com a idade das crianças:

Teatro para crianças de 6 a 7 anos – orientações pedagógicas

Teatro para crianças de 8 anos – orientações pedagógicas

Teatro para crianças de 9 anos – orientações pedagógicas

Teatro para crianças de 10 anos – orientações pedagógicas

Teatro para crianças de 11 anos – orientações pedagógicas

Teatro para crianças de 12/13 anos – orientações pedagógicas

 

Bibliografia

  1. SALLES, Pedro Paulo. Apresentação do Projeto Dom da Palavra ao Ministério da Cultura. 2003, p.7.
  2. SALLES, Pedro Paulo. Apresentação do Projeto Dom da Palavra ao Ministério da Cultura. 2003, p.8.

 

 

***