Ruth Salles

Ruth Sylvia de Miranda Salles, filha de um médico e de uma educadora, nasceu em 1928, em Araraquara – SP. Cresceu e fez seus estudos no Rio de Janeiro e, depois de casada, estabeleceu-se na capital paulista.

Em 1954, foi publicado seu primeiro livro de poemas, Pastoral. Em 1960, foi lançado Parcéis, que recebeu no Rio o Prêmio Olavo Bilac e, em São Paulo, o Prêmio Governador do Estado. Em 1982, foi publicado seu terceiro livro, Sem Símbolos Nenhuns.

Em 1966, matriculou seus filhos na Escola Waldorf Rudolf Steiner, começando logo a colaborar com os professores. Selecionou mais de 200 textos de autores de língua portuguesa, condizentes com a pedagogia. Revisou e recriou a tradução de mais de 400 poemas e escreveu mais de uma centena de poemas para uso pedagógico. Trabalhou em pelo menos 120 textos de teatro para todas as séries do ensino fundamental. Adaptou peças de Schiller, traduziu e adaptou Shakespeare e Calderón de La Barca. Recriou, em português, os libretos das óperas “Bastien e Bastiene” e “A Flauta Mágica”, de Mozart, do “Orfeu”, de Monteverdi, entre outros trabalhos.

Também compôs músicas para peças e poemas, além de letras para melodias já existentes. Colaborou ainda com a tradução, a revisão e a redação final de inúmeros livros.

Parte das suas obras criadas para a pedagogia Waldorf foram publicadas pelo Instituto Artesocial, com o livro Aprendendo com Poesia, a coleção Teatro na Escola, de 5 volumes, o livro As Aventuras da Gotinha D’Água e o livro Do Mulungu ao Manacá, sobre a flora do Brasil.

Até hoje, com o seu trabalho, Ruth Salles continua a colaborar com a Pedagogia Waldorf. Acesse aqui seu currículo completo.

Veja aqui um depoimento de Ruth Salles sobre seu trabalho.